Artigos sobre prática espiritual e mágica

 

Meditação e Visualização:

A meditação é, de longe, o método mais comum utilizado pelas tradições neopagãs tanto para práticas de autoconhecimento quanto de preparo mental e espiritual para a ritualística e para a própria comunicação com os Deuses. Ainda que existam outras formas, a meditação e visualização tende a ser a forma que traz mais confiança aos praticantes, uma vez que pode ser praticada tanto em grupo quanto de forma solitária, não exige de ninguém algum dom especial, pode ser aprimorada apenas com a prática e permite que cada um encontre suas próprias respostas sem a necessidade de intermediários. Dessa forma, a meditação se tornou parte essencial e indelével de linhas de crença mais imersivas e que envolvem uma busca por autoconhecimento, como é o caso do Druidismo. É fato que não teremos a certeza de que existissem práticas meditativas semelhantes dentro do mundo céltico, apenas evidências (dentre as quais a lenda no qual o Táin Bó Cualnge foi recuperado, onde um Fílidh irlandês teria praticado uma forma de meditação perante um antigo túmulo até entrar em contato com o espírito que lhe contou a história), mas nada nos impede de buscar uma forma moderna de meditação que atenda às nossas necessidades, mesmo que usando a simbologia do mundo antigo. Como sempre digo, o passado deve ser uma fonte de inspiração, não uma coleira.

Bençãos:

Abençoar é uma prática perene dentro da cultura céltica, com suas bençãos e dedicações poéticas e com metáforas naturais. A prática mágica diz que a palavra tem poder, e verbalizar o desejo sincero de bons ventos a alguém é uma das formas mais simples e conhecidas de canalizar intenções benéficas. Aqui encontraremos algumas bençãos tradicionais das terras célticas, bem como bençãos apresentadas pelos estudantes durante os treinamentos do Ramo de Carvalho.

Saining:

O Saining (Sain/ Sian/ Seun) é uma prática de encantamento encontrada nas regiões gaélicas da Escócia. Ela tem a intenção de buscar a proteção contra influências daninhas vindas de entidades do Outro Mundo ou de feitiçaria, bem como de assegurar a prosperidade e fartura. Nesta página daremos informações sobre o funcionamento do Saining, bem como exemplos de Sainings pagãos desenvolvidos durante os treinamentos do Ramo de Carvalho.

Orações:

A Oração é uma das formas mais comuns de ligação com o Sagrado nas mais diversas espiritualidades. A cultura céltica possui diversas características próprias visíveis na construção de sua forma de oração, como é visível na Carmina Gadelica e em outras fontes. Aqui apresentaremos algumas orações pagãs, tanto versões adaptadas de orações tradicionais quanto inspirações próprias dos membros do Ramo de Carvalho ao longo de seu treinamento.

Hinário:

Hinos e cânticos rituais utilizados pelo Ramo de Carvalho em seus rituais. A música faz parte da ritualística indo-europeia; das Dainas lituanas aos cânticos mântricos hindus e o famoso canto harmônico rúnico nórdico, temos diversas evidências do uso profundo dos povos indo-europeus da música na sua ritualística. Ainda que não tenhamos evidência direta da sua utilização entre os Celtas, seria no mínimo estranho imaginar que o povo que teve o Bardo entre as suas castas de elite intelectual e sacerdotal não tendo a música entre suas práticas ritualísticas. Assim, os Bardos e outros membros do Ramo de Carvalho vêm desenvolvendo uma série de canções ritualísticas para uso próprio e da comunidade druídica brasileira.

 

Rituais:

Exemplos de liturgias rituais druídicas e reconstrucionistas que foram utilizadas ou inspiraram o Ramo de Carvalho ao longo de sua história. Essas liturgias são exemplos apenas, não precisando serem seguidas à risca em nenhum momento por outros grupos. Basta que sejam utilizadas como fonte de inspiração e ideias para todos, e que novas estruturas sejam criadas por todos.

Rito para Latha na Cailleach (por Lívia Biancalana)

Rito à Deusa da Soberania, para Giamonia (por Wallace Cunobelinos)

Ritual para Bríghid e a Família (por Robert Kaucher, para a Ordem Druídica do Brasil)

Liturgia Ritual da Ordem Druídica do Brasil (por Robert Kaucher, para a Ordem Druídica do Brasil; texto resgatado e cedido por Megan Dw; revisado por Wallace Cunobelinos, e publicado com a autorização do autor original)