A Oração é uma das formas mais comuns de ligação com o Sagrado nas mais diversas espiritualidades. A cultura céltica possui diversas características próprias visíveis na construção de sua forma de oração, como é visível na Carmina Gadelica e em outras fontes. Aqui apresentaremos algumas orações pagãs, tanto versões adaptadas de orações tradicionais quanto inspirações próprias dos membros do Ramo de Carvalho ao longo de seu treinamento.

A Oração é literalmente ‘falar com os Deuses’, e ela não precisa ter nenhuma forma pré-estabelecida; é sempre melhor que a coração tenha tanto significado para você quanto você espera que tenha para os Poderes ao qual se refere, por isso uma oração espontânea e viva pode ter muito mais força de eco do que uma oração decorada que não diga nada a você. Mas se uma oração que não for escrita por você gerar ressonância emocional o bastante para que as palavras fluam de forma sincera e devocional, ela se torna tão válida quanto uma que flua direto do seu coração. Assim sendo, as orações aqui apresentadas não passam de exemplos, e são criações (ou adaptações) de membros do Ramo de Carvalho; você é livre para usa-las, desde que respeite a sua intenção e autoria.

Arianrhod

 

 

A Arianrhod (por Lewkokreddyos)

Oh mãe coroada
Que eu consiga sabedoria para suplantar os problemas do dia a dia
Oh mãe soberana da colina redonda
Que eu consiga as armas necessárias para as batalhas desta vida
Oh grande mãe provedora de vida
Que eu seja sempre digno de soberania.

Bríghid

Resultado de imagem para Brígid goddess

Brighid do Manto (tradicional do meio druídico; autoria desconhecida)

Brighid do manto, rodeai-nos
Senhora dos cordeiros, protegei-nos
Defensora da lareira, iluminai-nos
Sob o vosso manto reuni-nos e restitui-nos a memória
Mãe das nossas mães, antepassadas corajosas
Guiai nossas mãos nas vossas
Para acender a lareira, mantê-la viva, preservar a chama
Vossas mãos sobre as nossas, nossas mãos nas vossas
Para acender a luz tanto no dia quanto na noite
O manto de Brighid em torno de nós
A lembrança de Brighid dentro de nós
A proteção de Brighid livrando-nos
do mal, da crueldade e da ignorância
Neste dia e noite, do amanhecer ao anoitecer, do anoitecer ao amanhecer.
Assim seja.

Que Bríghid Seja a Cura da Minha Alma (por K Lúthien)

Que Brighid seja a cura da minha alma
Que Lugh me mostre as belezas da Vida
Que Dagda  seja a Fartura do meu dia
Que Morrighan me mostre a Coragem
Que Airmid seja a minha ligação com a Natureza
Que Oghma me mostre a Sabedoria das minhas escolhas
Que Mannanan seja a Força nos meus Sonhos
Que Scatha me mostre como combater meus Medos
E que Dannu finalize com suas bênçãos!

Sagrada Senhora (por Kleber Mac Tíre)

Sagrada senhora da cura
Sagrada senhora da forja
Santa e deusa da inspiração

Abençoa minha casa e família
Teu fogo nossa mente limpa
E tua água o nosso coração 

Que a todo tempo em tua forja
Nossas vidas sejam moldadas
Nossa proteção em tuas mãos 

Bendita és na primavera
Bem-vinda és a todo tempo
E nos momentos de inspiração. 

 

Oração Matinal (por Samantha Vasconcelos, inspirada na estrutura da Lórica de São Patrício)

Eu me levanto hoje
Pela Força do Dagda
Luz de Lugh
Brilho de Arianrhod
Esplendor de Morrighan
Resplendor de Bríghid
Presteza de Taranis
Profundidade de Manannan
Estabilidade de Kernunnos
Firmeza de Bran
Sabedoria de Oghma
Soberania de Rhiannon

Saúdo as Vozes da Tradição (por Juliana Couto)

Saúdo as vozes da Tradição, e os espíritos ancestrais.
Saúdo os que vieram antes de mim viveram, que habitaram e habitam Alba, Britania e Eire, Saudosa Eire.
Saúdo o porto dos Galeses, as terras de Mille e Terra Brasilis.
Saúdo a terra que piso, que me acolhe, que me sustenta, que me nutre.
Saúdo o mar gerador da vida, anseio de meu coração, ponte eterna que nos liga a terras ancestrais.
Saúdo o céu acima de mim, que abarca novas e desconhecidas esferas, que traz cor ao nosso firmamento, que ele nunca caia sobre nós.
Saúdo o sol que se levante trazendo luz, calor e visão.
Saúdo a lua e as estrelas que embriagam e inspiram os poetas, os amantes e os loucos.
Saúdo a paisagem sagrada, Dinshenchas, que traz em si a história da terra, dos povos e civilizações.
Saúdo a água das emoções e da saciedade.
Saúdo o fogo impetuoso do espírito,
Saúdo o ar, que faz tudo mover, dos ventos e tempestades.
Saúdo as árvores e animais, nossos irmãos de folhas, flores e frutos, bico, escamas, chifre e penas.
Saúdo meus amigos e familiares que fizeram e fazem de mim, aquilo que sou hoje.
Saúdo meus inimigos e desafetos por eles me desafiam a ser melhor.
Saúdo a eterna mudança que é viver está jornada chamada vida.
Saúdo meus erros e acertos, minhas escolhas passadas, presentes e futuras. – Pois com elas sei onde estou, de onde vim e para onde vou.
Saúdo as conquistas, que nos inspiram a alçar mais e com isso dar sempre o melhor de nós.
Sapudo meus erros e decepções pois com eles aprendemos, crescemos e nos desafiamos.
Saúdo a morte que traz em si novo ciclo, através da vida.
Saúdo a vida que traz a cura.
Saúdo a cura vinda do amor,
Saúdo o amor inspirado, que faz as canções ressoarem
Saúdo o ressoar eterno da inspiração Bárdica, que aqui me trás e dita a vida.
Saúdo a vida passada, presente e futura, vida que fomenta a tradição.
Saúdo a tradição que através do tempo lança suas sementes e faz ouvir suas vozes.
Saúdo as vozes da tradição

Que Você Encontre (por Celina Uemura)

Que você encontre a sua liberdade
Na liberdade, encontre sua soberania
Na soberania, encontre seu poder pessoal
No seu poder pessoal, encontre a sabedoria
Na sabedoria, o poder de escolha
Para escolher, qual o melhor caminho a trilhar
E assim seguir com sua liberdade.