Macha, por Angie Spencer

A Novena dos Homens de Ulster, onde e quando ela surgiu? Não é difícil. Crunniuc, filho de Agnomain dos Ultonios, pela posse de terras (briuga) era investido. Vivia em retiro (dithrub, “solitário”), nas montanhas, e teve muitos filhos. Mas sua esposa havia morrido, então. Um dia ele estava, então, sozinho, quando viu uma mulher indo para a sua casa. A mulher parecia bela (cuchtach) para ele. Quando ela entrou, imediatamente começou a fazer os preparativos para um banquete (ergnam), como se ela vivesse na casa. Quando anoiteceu ela organizou a casa sem fazer nenhuma pergunta. Ela se deitou (foaid, “deitar-se”, muitas vezes no sentido sexual) com Crunniuc à noite. Desde então ela passou muito tempo com ele e, graças a ela, eles não tiveram escassez de qualquer coisa, fosse comida, ou bebida, ou riquezas.

Houve a assembleia (oénuch) que era chefiada pelos Ultonianos, e eles tinham a tradição de ir com homem, mulher, filho, filha. Crunniuc também se misturou com os outros na assembleia; ele era altivo e de bem constituído. “É apropriado a ti,” falou a esposa, “não ser descuidado, nem dizer algo imprudente”. “Impossível”, disse ele. A assembleia estava se encerrando, e ao final a carruagem do rei chegou para o término. Sua carruagem e cavalo eram vencedores. O povo dizia, “Nada há que enfrente esses cavalos em velocidade.” “Minha esposa é mais rápida”, falou Crunniuc. Ele foi levado para o rei. Isso foi dito para a esposa de Crunniuc. “É uma grande aflição que eu tenha que liberta-lo” disse ela. “E estou grávida! (alacht)” “Que aflição!” disse o mensageiro. “Ele será morto se não vieres”.

Então ela foi para a pista de corridas e as dores do parto a tomaram. “Ajudem-me”, disse ela ao povo; “pois de uma mãe cada um vós nascestes. Esperem até que eu tenha dado à luz.” Ela não receberia aquilo deles. “Bom, então,” ela respondeu; “Bem, então,” ela respondeu; “então virá a maior das dores, e por muito tempo ela durará para todos os Ultonios”. “ Qual é teu nome?” disse o rei. “Meu nome”, ela responde, “e o nome de minha prole para sempre serão associados com a assembleia. Macha, filha de Sainríth, filho de Imbath, é nome para mim.”

Então ela partiu com carruagem; e quando a carruagem chegou ao final, seu parto previu sua chegada, pois dela nasceram gêmeos (emuin) – um menino e uma menina. Dali vem Emuin Macha. No seu parto ela deu um tal grito que levou cada um que o ouviu a uma condição de fraqueza por cinco dias e quatro noites. Todos os homens Ultonios que ali estiveram seriam afligidos pela mesma condição até a nona geração. Cinco dias e quatro noites, ou cinco noites e quatro dias, essa era a duração da Noiden Ulad. A força de uma mulher no parto, essa era a força que cada homem dos Ultonios tinha na Noinden, até a nona geração. Três classes havia as quais a Noiden não afligia, i.e. os jovens e as mulheres dos Ultonios e Cuchulainn. O período no qual ela afligiu os Ultonios foi o tempo de Cruincon, filho de Agnomain, filho de Curir Ulad, filho de Fiatach, filho de Urmi, até o tempo de Forco, filho de Dallan filho de Mainich filho de Lugdach. Curir Ulad, é por ele que os Ultonios são nomeados.

Assim surgiu a Noiden Ulad e Emuin Macha.