Bem-vindos à página do Ramo de Carvalho, grupo de estudos e práticas pagãs voltadas ao Druidismo e ao Reconstrucionismo Celta em São Paulo. O grupo nasceu em 2010, na capital paulista, como uma iniciativa de amigos que pretendiam agregar conhecimento e unir pessoas dedicadas ao estudo sério desses caminhos, e iniciar um grupo de dedicantes preparados para atuar nos diversos níveis ritualísticos da tradição céltica, bem como a criação de uma crescente tribo pagã, onde os membros participam em comunidade pela divulgação e trabalho de nossa fé.

Nossa linha de estudos pode ser definida como Druidismo com enfoque Reconstrucionista. Por Druidismo, entendemos a espiritualidade dos antigos povos célticos, tanto o conhecimento de sua forma original, bem como a possibilidade de sua prática moderna. Por Reconstrucionismo, entendemos o respeito pelas fontes históricas e acadêmicas, sem fantasiar o passado, mas usando-o como base para reconstruir a crença céltica para o nosso presente e leva-la ao futuro. Pois esse é o nosso objetivo principal:

Conhecer o passado, para construir no presente e levar ao futuro.

O Ramo de Carvalho vem seguindo uma linha constante de estudos ao longo de seus anos, dedicada tanto a iniciar pessoas no estudo das tradições celtas e druídicas (com seus grupos-semente), bem como a preparar um corpo de dedicantes com treinamento místico e sacerdotal para atuação em nossa tribo pagã, bem como em nossa comunidade. Os estudos do Ramo de Carvalho combinam o estudo acadêmico com o misticismo natural e tribal. Ele não é uma tradição ortodoxa, mas livre para crescer em diversas direções, mas sempre pautada pela coerência e honestidade. E, como o Carvalho do qual emprestamos o nome, não temos pressa, pois estabelecer raízes fortes é mais importante do que lançar rapidamente as folhas ao céu, mas podendo ser abalado por quaisquer ventanias ou tempestades.

Hoje, o Ramo de Carvalho é um grupo pagão estabelecido dentre as demais sendas druídicas brasileiras, bem como dentre as várias vertentes pagãs. Seus membros participam de eventos pagãos e culturais, e trabalham pela cultura e espiritualidade célticas no Brasil, pela sua divulgação e reconhecimento, ao mesmo tempo que mantém seu treinamento em busca do conhecimento espiritual. Nós somos estudiosos e místicos. Somos Bardos, Vates, Druidas, Guerreiros, Cultivadores. Somos pessoas que preservam as tradições da Tribo e o acordo com a Terra.

Sejam muito bem-vindos a nossa casa.

Druidismo

Entendemos o Druidismo de forma ampla, tanto o Druidismo antigo (praticado nos tempos dos Celtas), quanto o Druidismo renascido, ou o Druidismo moderno. Não fazemos julgamento sobre o movimento druídico, e fazemos parte dele, entendendo o Druidismo como um só, apenas manifestado de forma diferente, em épocas diferentes, por pessoas diferentes. Nosso Druidismo é politeísta, animista, e pagão. Seu enfoque é principalmente devocional, mas também envolve o trabalho mágico. Ele tem sua base na cultura dos Celtas e Druidas históricos, mas a base não é a única parte de uma fortaleza, por isso não se nega a aprender com novas influências (que vieram com o Renascimento ou os tempos modernos). A missão do Ramo de Carvalho é a articulação entre a Filosofia Ética e a Filosofia Natural, ensinando valores ao ser humano, e integrando-o à natureza. Entendemos isso como a base e o motivo do Druidismo, e aceitamos isso como nossa missão.

Reconstrucionismo Celta

Entendemos o Reconstrucionismo Celta como metodologia de estudos, não como a religião em si (sabendo que outros podem discordar disso). O Reconstrucionismo se tornou uma base de estudos para o Ramo de Carvalho, buscando entender a sociedade antiga dos Celtas e Druidas em termos acadêmicos, sem fantasias ou ilusões. Entender o passado é necessário, e a honestidade faz parte da Honra, por isso trabalhamos os aspectos culturais e históricos de forma clara. Mas entendemos o Reconstrucionismo a partir de sua descrição mais básica: “Buscar como a religião celta seria hoje, se não tivesse sido interrompida pelo cristianismo”. Não há nada que diga que devemos buscar nos afastar de influências culturais modernas, ou ser influenciados por outras linhas de pensamento. A religião celta não era a mesma em todos os períodos históricos, nem a mesma em todas as regiões, esperar que seja a mesma em nossa terra e nosso tempo é fugir da própria capacidade de adaptação que ela demonstrou. Apenas devemos ter a honestidade para separar o que “era” (sem fantasiar ou negar o passado) do que “é” (sem negar o que é uma prática pessoal, particular, moderna).

 

Estatuto e Estrutura do Ramo de Carvalho

O Ramo de Carvalho é uma entidade nascida em fevereiro de 2010, em São Paulo, capital. Ele tem por principais objetivos a divulgação, estudo e prática da espiritualidade céltica no mundo contemporâneo, tanto na vertente chamada Reconstrucionismo Céltico  quanto na chamada Druidismo. O grupo também tem por objetivo atuar como apoiador de iniciativas que sejam destinadas à melhoria de condições e ao reconhecimento dessas formas de prática espiritual enquanto religião, bem como de eventos, grupos ou movimentos dedicados à divulgação das culturas célticas (seja no quesito espiritual, literário, musical ou de qualquer outra forma de manifestação artística) no Brasil, e também de causas de fundo ambiental,  fundamentais à prática do Druidismo enquanto espiritualidade. O Ramo de Carvalho define a si mesmo como um grupo pagão e, portanto, apoia grupos e eventos dedicados à divulgação das religiões pagãs de forma séria no Brasil. Os membros do Ramo de Carvalho assumem o compromisso de estudar e divulgar a cultura céltica a partir de fontes reconhecidas como válidas do ponto de vista acadêmico, bem como falar da espiritualidade  céltica a partir de reconstruções de práticas antigas ou sistemas que, de acordo com estudos, seriam familiares à forma de pensamento dos celtas antigos. A metodologia Reconstrucionista, bem como o sistema de crenças do Druidismo clássico são predominantes.

 

Sobre Direitos e Deveres dos Membros:

1-      Todos os membros do Ramo de Carvalho (plenos e sementes) devem se portar de forma adequada e madura, respeitando as convenções sociais básicas durante as reuniões do grupo. Quaisquer discussões e diferenças pessoais devem ser (a) resolvidas entre as partes em particular ou (b) resolvidas em conversa com o grupo (sendo esta a última opção), tendo em vista (a) a manutenção da amizade entre os membros ou (b) a convivência harmoniosa entre estes, pelo menos. Todos os membros devem frequentar as aulas com assiduidade, justificando suas ausências (o grupo é flexível com as ausências, mas elas devem ser justificadas, mesmo que verbalmente). Em casos em que o membro saiba previamente que não poderá estar presente a todas as reuniões, o fato deve ser comunicado. Um número maior do que três ausências (não-justificadas) conta como abandono. Ausências por motivos de feriados e datas comemorativas não contam para isso, mas o membro deve buscar o conteúdo dado.

2-      Membros plenos tem direito a votar nas decisões do grupo. Membros plenos podem (e são encorajados a fazê-lo) escrever e desenvolver material para estudo do grupo, bem como divulga-lo na página virtual do Ramo de Carvalho. É pedida aos membros plenos a participação nas decisões do grupo, mesmo que com apenas o seu voto (ainda que sugestões sejam sempre bem-vindas). Membros plenos podem utilizar o nome e a marca Ramo de Carvalho em suas páginas e projetos pessoais, se assim desejarem.

3-  Os membros do grupo semente podem participar de atividades e rituais do grupo mediante convite. Os membros do grupo semente tem o direito a pedir revisão no conteúdo, e atividades diversificadas.

Sobre a Função do Ramo de Carvalho

1-      O Ramo de Carvalho tem a função de prover informação sobre a cultura e a espiritualidade célticas, bem como apoiar manifestações e ações destinadas a divulgação destas. O Ramo de Carvalho não tem qualquer finalidade lucrativa, e todos os custos relacionados aos cursos são relativos a impressões, apostilas e cerimônias, que são divididos entre todos os membros, de acordo com o valor.  A forma que o Ramo de Carvalho realiza a sua função primordial é, principalmente, por meio de cursos, tanto introdutórios (grupos semente), quanto de especialização cultural e ritualística. Os membros do Ramo de Carvalho também representam o grupo ao realizarem palestras, e participarem de eventos do meio pagão e religioso em geral. O curso do Ramo de Carvalho tem a sua reprodução proibida para fins alheios ao grupo. Todo o nosso material é destinado apenas ao grupo Ramo de Carvalho e quaisquer textos divulgados para meios externos deve passar por aprovação.

2-      O Ramo de Carvalho, enquanto divulgador de uma espiritualidade pagã, apoia as causas de fundo ambiental, além daquelas do meio cultural. Entendemos que a nossa natureza deve ser preservada, e apoiamos iniciativas que a defendem, bem como as que busquem sua recuperação e reflorestamento. Também apoiamos iniciativas em nome da proteção dos animais de rua nas cidades grandes. Nossa espiritualidade é animista, e entende que qualquer forma de vida é merecedora de respeito.

3-      O Ramo de Carvalho apoia diversos grupos druídicos no Brasil e no exterior. Apoiamos qualquer grupo que possua uma base de estudos séria, e respeito pela história oficial dos povos célticos. Apoiamos grupos que assumem a nomenclatura ‘Druidismo’ (contanto que, com uma base reconhecível de estudos) e ‘Reconstrucionismo Céltico’ sem fazer distinção. Apoiamos grupos de outras espiritualidades, pagãs ou não, desde que nos respeitem e possamos trabalhar juntos. Apoiamos qualquer evento em prol do paganismo nacional realizado por grupos que respeitamos. Apoiamos a iniciativa do Conselho Brasileiro de Druidismo e Reconstrucionismo Céltico.

 

Sobre a Estrutura e os Membros

1-      A estrutura do Ramo de Carvalho é baseada em um sistema que chamamos de “tribal”, onde cada membro possui uma função a ser desenvolvida e estudada. Dentro do grupo, os membros plenos são aqueles que estão em treinamento para assumir uma função na ritualística e nos estudos do grupo. Membros plenos podem atuar como instrutores dos “grupos semente” após dois anos dentro do grupo.

Anexo 1: Em 10/08/2015 o Ramo de Carvalho abandonou a estrutura “tribal” (que ainda é válida para a Clareira Bosque de Carvalhos), e assumiu a estrutura que chamamos de “ordem”, ou “árvore”, mais ampla e com maior liberdade aos membros. Essa estrutura é explicada ao final dessa seção.

2-      Aos membros plenos é pedido afinco e dedicação aos estudos, e ao grupo. O cronograma é diversificado e longo para não atrapalhar as tarefas cotidianas. É pedida a participação nos rituais do grupo. É pedida a presença nas reuniões de prática, para que os membros plenos possam interagir com as turmas semente.  As ausências serão aceitas se forem devidamente justificadas.

3-      Os “grupos semente” são grupos de estudo, onde as pessoas terão a oportunidade de estudar junto ao Ramo os aspectos básicos da espiritualidade céltica, sua história e aspectos culturais. A função primordial dos grupos semente é estudar para que os membros tenham as noções mais básicas do funcionamento do Druidismo e do Reconstrucionismo Céltico. Os membros do grupo semente terão instrutores que são membros plenos do Ramo de Carvalho, que estarão disponíveis também para as dúvidas. Os membros do grupo semente só podem se tornar membros plenos da Tribo após decorrido o período do curso de um ano, mediante aprovação.

4-      Em qualquer caso de abandono, isso não significa expulsão do grupo Ramo de Carvalho, mas se o abandono não for justificado, o membro apenas poderá retornar após transcorrido um ano. Abandonos justificados significam que o membro poderá retomar seus estudos no ano seguinte. Membros podem ser expulsos apenas após reunião e decisão entre os membros plenos, que devem levar em consideração todos os aspectos envolvidos, incluindo ouvindo a posição dos membros semente.

 

A Árvore – A Atual Estrutura do Ramo de Carvalho 

“Bolotas/ Sementes”

Messus, Messewes

Esses são os candidatos ao Ramo de Carvalho; eles passam pelo treinamento de um ano (presencial ou à distância) necessário para se tornar um Toutyos, ou “Membro da Tribo”. Eles tem a possibilidade de participar dos eventos abertos do Ramo de Carvalho, de participar dos ritos sazonais, bem como participar de ritos privados (apenas se convidados). Para tornarem-se  Toutyoi devem obrigatoriamente passar por um teste.

 

“Folhas”, Membros da Tribo

Dolyâ, Dolyâs; também Toutyos, Toutyoi

Esses são os membros aprovados após o tempos como Messewes. Eles não tem nenhuma obrigação de assumir imediatamente um treinamento para especialização, podendo simplesmente decidir permanecer como Dolyâs. Todos os membros que ainda não completaram seus treinamentos específicos são Dolyâs também. Toutyoi  podem participar dos eventos abertos do Ramo de Carvalho, dos ritos sazonais, de ritos privados (se convidados), e também podem (se optarem por isso) se engajar em um treinamento específico. Toutyoi também tem a possibilidade de formar seus próprios Nemetâ, Yalâ, Kaitâ, Dunâ ou Kenetlâ (termos proto-célticos [no plural] para “Bosque Sagrado”, “Clareira”, “Bosque”, “Fortaleza” [o Druidismo costuma usar a forma galesa Caer] e “Família” [é comum o uso do gaélico Clann]) ligados ao Ramo de Carvalho, mas aqueles que são apenas Dolyâs não podem treinar novos Messewes; podem receber novos Toutyoi, bem como Messewes em treinamento em suas fileiras, além de membros que não iniciaram seus treinamentos, mas não podem assumir a sua instrução.

 

Discípulos

Sekwanos, Sekwanoi

Esses são os membros que se engajam em um treinamento específico. Eles recebem o treinamento apropriado para seu caminho, e são testados constantemente para chegar à competência necessário. Eles tem todos os direitos das Dolyâs, mas sua assiduidade e colaboração com os rituais e eventos contam muito para seu reconhecimento e aprovação. Eles também podem atuar como instrutores de Messewes no Ramo de Carvalho, mas não assumir o treinamento destes em seus próprios Nemetâ.

“Ramos”, Iniciados

Kriabon, Kriabâ; também Dîassus, Dîassewes

Membros que completaram o nível fundamental de seu treinamento específico, sendo dignos de serem chamados Bardos, Watis e Druwids, ou Tigernos, Gutuatrî, Danus, Cultivadores. Os estudos dos caminhos sacerdotais nunca terminam realmente, podendo continuar ao longo da vida e atingindo níveis mais elevados. Recebem a permissão de treinar novos Messewes em uma clareira própria, mas não novos Sekwanoi.

 

“Troncos”, Consagrados

Bûstis, Bûstîs; também Komnibtos, Komnibtoi

São aqueles que recebem uma ordenação plena, seja pelo seu serviço à comunidade pagã, ao Druidismo ou ao Ramo de Carvalho; esse trabalho pode se mostrar de várias formas, como sendo tutor para turmas de Messewes, desenvolvimento de novos estudos para o Druidismo, palestrando em eventos e divulgando a tradição, celebrando e coordenando cerimônias, dentre vários outros aspectos. Também é exigido que o Bûstis eleve a nível de excelência o seu conhecimento da sua área de atuação. O Bûstis pode treinar novos Messewes e também novos sacerdotes da sua linha de estudos, ou orientar nas especializações, desde que domine o seu conteúdo.

 

“Raízes”, Anciões

Senisteros, Senisteroi

São os membros mais experientes da tradição, que completaram seu treinamento e que auxiliam no desenvolvimento de novos níveis de conteúdo para o Ramo de Carvalho e para a comunidade druídica. Seu reconhecimento pode vir tanto de dentro do grupo quanto da comunidade exterior. Podem treinar Sekwanoi de qualquer linha, desde que dominem seus aspectos de treinamento; também são os responsáveis por alterar qualquer linha dos conteúdos e aprovar a inclusão ou retirada de materiais dentro dele. No futuro serão aqueles que formarão o Conselho Interno do Ramo de Carvalho.

 

 

 

O Nemeton

 

Nemeton Associado

Nemeton Irmanado

Clareira Bosque de Carvalhos

Pode ser criado por qualquer um que tenha completado e sido aprovado após o período de Messus (sendo, portanto, uma Dolyâ)

Pode ser criado por qualquer um que tenha completado e sido aprovado após o período de Messus (sendo, portanto, uma Dolyâ)

Já existente.

Pode treinar seus próprios Messewes (se tiver pelo menos um Kriabon responsável); pode treinar seus próprios Sekwanoi (se tiver seus próprios Komnibtoi responsáveis)

Pode treinar seus próprios Messewes (se tiver pelo menos um Kriabon responsável); pode treinar seus próprios Sekwanoi (se tiver seus próprios Komnibtoi responsáveis)

A base do Ramo de Carvalho, portanto responsável pelo treinamento principal dos Messewes e Sekwanoi do grupo.

Pode participar das decisões do Ramo de Carvalho, podendo eleger um membro para o Círculo Interno (a ser formado quando o Ramo de Carvalho tiver nove anos de idade)

Não pode participar das decisões internas do Ramo de Carvalho, nem pode eleger um membro para o Círculo Interno, pois sua administração é independente.

É parte integrante do Ramo de Carvalho, por isso participa de suas decisões. Mas também elegerá um membro para o Círculo Interno quando o Ramo de Carvalho completar nove anos.

Não precisa de associação ao CBDRC, pois é parte do Ramo de Carvalho.

É incentivado a se associar ao CBDRC, pois é irmã do Ramo de Carvalho, mas independente dele.

É parte integrante do Ramo de Carvalho, portanto já é associada ao CBDRC.

Não perde o status de associada ao Ramo de Carvalho se os membros se dedicarem ao estudo em outras vertentes e grupos druídicos.

Não perde o status de irmã do Ramo de Carvalho se os membros se dedicarem ao estudo em outras vertentes e grupos druídicos.

Não perde o status de associada ao Ramo de Carvalho se os membros se dedicarem ao estudo em outras vertentes e grupos druídicos.

Seus membros podem fazer parte de mais de um Nemeton, seja como membros fixos (desde que possam se dedicar a ambas), seja como tutores de novos Nemetâ (desde que sejam, no mínimo, Kriabâ)

Tem administração independente, mas seus membros podem participar de outros Nemetâ do Ramo de Carvalho (desde que possam se dedicar a ambas), ou serem tutores de novos Nemetâ (desde que sejam, no mínimo, Kriabâ)

  Seus membros podem fazer parte de mais de um Nemeton, seja como membros fixos (desde que possam se dedicar a ambas), seja como tutores de novos Nemetâ (desde que sejam, no mínimo, Kriabâ)

Podem organizar seus próprios rituais, convidando a quem quiserem para eles. Podem frequentar os ritos da Clareira Bosque de Carvalho à sua escolha. Podem organizar ritos conjuntos com outros Nemetâ.

Podem organizar seus próprios rituais, convidando a quem quiserem para eles. Podem frequentar os ritos da Clareira Bosque de Carvalho à sua escolha. Podem organizar ritos conjuntos com outros Nemetâ.

Organizam os rituais oficiais do Ramo de Carvalho. Todos os seus ritos são abertos aos membros do Ramo de Carvalho (associados ou irmanados), e mesmo aos Messewes (salvo em situações específicas); seus ritos podem ser organizados em conjunto com outros Nemetâ.

 

A Senda

Existem sendas para Especialistas (Feiticeiros, Artesãos, Cultivadores, Guerreiros) e Sacerdotes (Bardos, Vates, Druidas); cada membro só pode estudar uma única senda por vez.
Não é necessário seguir uma senda para permanecer no Ramo de Carvalho; é possível terminar o treinamento de Messus e continuar membro sem escolher uma senda; é possível escolher uma senda em uma época posterior, à sua vontade.
Até a quarta turma do Ramo de Carvalho, o sistema de avaliação das sendas (para atingir o nível de Kriabon) é baseado em um currículum fixo de estudos, avaliação de absorção desses conhecimentos e desenvolvimento de artigos sobre assuntos estudados. Após a quarta turma (incluindo membros que não completarem seu treinamento até 2016), o curriculum será moldável pelo candidato, e sua avaliação (tanto para o nível de Kriabon quanto de Bûstis) se deverá aos assuntos que dominar (e o quão apropriados o são ao seu posto), ao material que produzir, às cerimônias que participar ativamente e demais atividades em serviço do Druidismo e do Ramo de Carvalho.
Cada senda possui sua própria administração, mas até o nono do Ramo de Carvalho ela deverá eleger um representante para o Círculo Interno; seu mandato terá duração de três anos, sem direito a reeleição imediata.

Círculo Interno

Projeto para quando o Ramo de Carvalho completar nove anos de idade: Círculo que tomará as decisões do Ramo de Carvalho a partir daí, formado pelos Senisteroi, pelos representantes das Clareiras (que deverá representar os interesses das mesmas) e pelos representantes das Sendas (que deverá representar os interesses das mesmas).

Clareira Bosque de Carvalho

Clareira-Mãe do Ramo de Carvalho

Seus membros podem ser flutuantes; não é preciso permanecer na Clareira-Mãe para sempre.

A admissão na Clareira Bosque de Carvalho deve seguir critérios de relacionamento com os membros correntes, conhecimento, e interesse.

A Clareira-Mãe ainda precisará eleger um representante para o Círculo Interno no futuro.